segunda-feira, julho 12, 2010

( 6 ) Comentários

É pra cheirar (O pão nosso de cada dia...)


No perímetro da pequena mesa estavam assentados à espera da refeição noturna que seria colocada pela matriarca da família. A mesa era tão pequena que facilmente se estendia a mão de uma extremidade a outra, mas era suficiente para compor os pratos e mais um pouco.

Tudo pronto. Fecharam os olhos para elevar uma prece de agradecimento ao Pai. E ainda não sabiam que o melhor estava por vir.

Todos os pratos eram iguais. Os mesmos caroços marrons e rubros de feijão boiavam no abundante caldo pouco temperado em todos os recipientes. Mas tinha seu bom sabor. O problema era que depois de uma semana ingerindo a mesma coisa já fazia a garganta arder um pouco ao degustar o caldo.

O menino com olhar miúdo contemplava os caroços quando algo foi colocado no prato e levemente submergiu entre o feijão.

Curioso, ele quis saber o que era, mas ela apenas lhe respondeu que “era para cheirar”. Ironia, claro.

Tratava-se de um pequeno pedaço de bacalhau, propositalmente salgado, ganhado ainda na Semana Santa.

Aquele pequeno pedaço de peixe instigava o sorriso no rosto do menino. Este que há mais de uma semana via a mesma cor em seu prato, agora o via colorido por um singelo pescado branco no meio do marrom.

Assim, todos mergulhavam a colher no caldo e desfiavam delicadamente o bacalhau. O sal era-lhes a novidade depois de dias.

Ao terminar, levantou-se primeiro o miúdo. O feijão já não pintava seu prato, mas o petisco ainda sobrara por lá.

Quando o pai perguntou-lhe se não iria comer tudo, já de pé e notavelmente feliz com a novidade, respondeu:

- Vou guardar para cheirar amanhã também.

Imagem Via morgueFile

domingo, julho 11, 2010

( 5 ) Comentários

Enquanto isso no Orkut (11/07/2010)

Sena do Aragão

Sorte de hoje: O melhor presente que você pode dar é um abraço: ele é tamanho único, e ninguém vai se importar se você quiser devolvê-lo

Imagem Via Estou sem criatividade para bolar um título bacana

domingo, julho 04, 2010

( 4 ) Comentários

Enquanto a bola rola

Sena do Aragão




Normalmente quando passo pelo televisor nas manhãs de domingo e vejo que está acontecendo uma partida de futsal, me vem aquela sensação de "não tem pra ninguém, já ganhamos."


Há um tempo nosso futebol está indo para esse caminho. O maior jogador da história é brasileiro, a seleção número 1 no rank da FIFA é a nossa, nossos jogadores estão sempre entre os melhores do mundo. "Respiramos futebol". Agora jogamos com a camisa (verde e amarela). Jogamos com o nome (Seleção Brasileira). Nossos adversários nos temem por isso. Mostram respeito. Jogam retrancados.

A primeira Copa do Mundo que acompanhei foi a de 1994. Em seguida, se o Brasil não faturou algum título, o perdeu em finais. Embora isso pareça estar mudando desde 2006. Desconsiderando Olempíadas, claro.

Habituados a ganhar, somos e nos sentimos os favoritos.

Se ganhamos, encontramos aí outro grande e bom motivo para festejar. As vezes por longos dias. Mas se perdemos, nos apetece logo encontrar um mártir para nossas frustrações. Assim, pomo-nos logo a crucificá-lo e nos ocupamos em momentos de críticas e análises.

Isso não é errado. O problema está no fato de não ser só isso.

Além do período coincidir com datas festivas (Festas Juninas), somos obrigados a seguir um calendário imprevisível, movido pelo desenvolver dos jogos. Assim, se a Seleção vai jogar e vira feriado, somos obrigados a entrar nessa. (Não que eu não tenha corrido pra casa sorridente deixando o trabalho para acompanhar a partida. Eu gostei disto.)



Não podendo comprar, negociar, estudar, trabalhar, reinvindicar, pensemos em futebol. Mas se a vida passa por nossa janela enquanto vivemos à luz da Jabulani, aí está o grande problema.

Quantas coisas aconteceram enquanto nossos holofotes estavam virados para a África do Sul? Cidades brasileiras sofriam com a chuva em época de campanha eleitoral. A criminalidade não deu trégua e o oceano cada dia mais poluído devido a ação humana.

Precisamos pensar a renovação da Seleção Brasileira para 2014, mas antes de tudo, devemos pensar em nós mesmos. Como estaremos em 2014?

Imagem Via ojardim.net

quinta-feira, julho 01, 2010

( 4 ) Comentários

Enquanto Isso no Orkut (01/07/2010)

Sena do Aragão





Sorte de hoje:
O pessimismo nunca ganhou nenhuma batalha

Chage Via NewsErrado
Related Posts with Thumbnails

 

"O que fazemos na vida ecoa na eternidade."



 

Este blog possui atualmente:
Comentários em Publicações!
Widget UsuárioCompulsivo

Online